Nova gama Canine Care Nutrition

0-canine-care-perro-listado

A Royal Canin apresenta a sua nova gama com mais de 25 fórmulas nutricionais destinadas à prevenção das sensibilidades mais comuns dos cães.

OS PROBLEMAS DE SAÚDE AFETAM CADA VEZ MAIS CÃES

Sabia que inúmeros estudos indicam que 1 em cada 3 cães1 apresenta alguma sensibilidade em algum momento da sua vida? Estas sensibilidades são de diferentes tipos (cutâneas, excesso de peso, articulares, urinárias, digestivas…) e os tutores têm um papel fundamental quando se trata de detetá-las.

1-canine-care-perros-sensibilidades-pt

Tudo começa com uma pergunta essencial: Notou que…? Se a resposta é afirmativa, como, por exemplo, que o seu cão se coça mais do que o habitual ou nota que tem dificuldades de digestão, então podemos estar perante uma sensibilidade.

O QUE PODEMOS FAZER NESTA SITUAÇÃO?

Na Royal Canin, acreditamos que a nutrição é a base da primeira abordagem ao problema e, por isso, lançámos uma nova linha de produtos Premium, com resultados comprovados em mais de 2000 cães com diferentes sensibilidades, observando-se uma melhoria nos sintomas apenas algumas semanas após o uso e uma satisfação muito elevada dos seus tutores.

2-canine-care-grafico-estudios-pt

Esta nova linha de produtos, baseada em décadas de investigação e observação dos animais de estimação e das suas necessidades nutricionais, é atualmente composta por 25 fórmulas especialmente desenvolvidas para ajudar a lidar com oito sensibilidades diferentes. A nova gama estará disponível para cães de pequeno, médio ou grande porte em pontos de venda especializados e o seu objetivo final é proporcionar a cada cão os benefícios de saúde visíveis, melhorando assim o seu bem-estar e a sua qualidade de vida

A NOVA GAMA CANINE CARE NUTRITION

A gama Canine Care Nutrition é o exemplo mais recente de soluções nutricionais Premium, que coloca as necessidades dos animais de estimação no centro da inovação. Com este lançamento, a marca oferece aos tutores a mais extensa gama existente atualmente para a prevenção das sensibilidades dos cães através de uma abordagem de Nutrição-Saúde.

A gama Canine Care Nutrition estará disponível em alimento húmido e seco para 6 sensibilidades, com o objetivo de satisfazer as diversas preferências e apetites de cada cão. Neste sentido, a possibilidade de oferecer Mixfeeding para uma mesma sensibilidade, combinação de alimento seco e húmido, fornece benefícios nutricionais ao mesmo tempo que aumenta a palatabilidade para os cães

Todos os produtos desta nova gama são formulados com uma cuidadosa seleção de nutrientes que reduzem a sensibilidade e proporcionam benefícios de saúde visíveis a cada animal.

3-canine-care-productos-pt-2
4-canine-care-resultados-pt

BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE DO SEU CÃO

Entre as principais fórmulas da gama, destacam-se:

  • Dermacomfort: Concebida para ajudar a nutrir e a proteger a pele dos cães. A sua fórmula contém ácidos gordos Ómega 3 e 6, bem como proteínas selecionadas para reduzir o risco de alergia.

Resultados comprovados: 91% dos tutores satisfeitos após apenas 2 meses. 

  • Digestive Care: O seu objetivo é favorecer o equilíbrio da flora intestinal e melhorar a qualidade das fezes. Contém proteínas de alta digestibilidade e uma mistura especial de pré-bióticos e fibras. A combinação equilibrada de fibras solúveis e insolúveis contribui para o conforto digestivo.

Resultados comprovados: Entre 91% e 97% dos cães desenvolveram fezes de ótima  qualidade, prova definitiva da saúde intestinal.

  • Light Weight Care: Concebida para manter a massa muscular magra e eliminar o ganho excessivo de peso. Contém um elevado teor de proteínas e baixos níveis de gordura, além de fibras solúveis e insolúveis para ajudar o cão a sentir-se saciado e garantir um trânsito regular e uma boa digestão.

Resultados comprovados: Entre 21% e 35% menos gorduras que o alimento regular para adulto.

  • Sterilised: Indicado após a esterilização para ajudar a manter o peso ideal. Contém proteínas de alta digestibilidade e pouca gordura, bem como fibras dietéticas para ajudar o cão a sentir-se saciado e favorecer o trânsito regular.

Resultados comprovados: Entre 11% e 14% menos calorias que o alimento regular para adulto.

Em qualquer caso, se os sintomas persistirem ou o cão apresentar alguma patologia prévia, o mais recomendável é consultar sempre o seu médico veterinário.

A SOLUÇÃO ESTÁ NOS PORMENORES

Na Royal Canin, queremos continuar a criar um mundo melhor para os animais de estimação e, para isso, continuamos a investigar e a desenvolver soluções nutricionais para as sensibilidades mais comuns dos cães.

A nossa abordagem única sempre coloca as necessidades nutricionais dos gatos e cães no centro do processo de inovação. A idade, o estilo de vida, o tamanho, a raça e o nível de atividade são fatores tidos em conta para, com a ajuda dos mais recentes avanços científicos, produzir dietas específicas para as necessidades de cada animal.

Para conhecer em pormenor o resto da gama, pode entrar no nosso site: www.royalcanin.pt

1. Royal Canin dog & cat segmentation study 2012 (country total: USA, France, Russia, Japan, UK, Japan

Cão rafeiro

Mestizo-ficha-entrada-perro-esHISTÓRIA

Parece ser consensual a atribuição da descendência do cão ao lobo, mas seria mais exato afirmar que provém de um canídeo antigo, parecido ao lobo atual, que vivia por toda a Eurásia e América.

Há duas teorias sobre o local onde ocorreu a domesticação do cão. Uma situa-a no Oriente Próximo ou na Ásia oriental, e a outra, certificada por estudos genéticos, afirma que a domesticação do cão se realizou na Europa há cerca de 19.000 anos, no mínimo.

Não está clara como foi feita a aproximação daquele lobo ancestral ao homem, mas sabe-se que desde então formou parte de praticamente todas as culturas humanas, com uma relação tão próxima que conseguiu ser considerado como “o melhor amigo do homem”.

Desde que o cão foi domesticado há milénios, a sua evolução esteve sujeita a um fator fundamental, a funcionalidade, isto é, cumprir adequadamente com a obrigação que lhe tinha sido dada. E os três trabalhos fundamentais ao longo da história foram a caça, a pastorícia e a proteção. Este é o motivo pelo qual, desde tempos imemoriais, pode considerar-se que o cão conta com muitas estirpes e variedades diferentes, com formas, tamanhos e temperamentos tão variados entre eles que, muito frequentemente, custa a acreditar que são indivíduos da mesma espécie.

Foi apenas durante o século XIX que se desenvolveram os conceitos de “raça canina”, que temos hoje em dia, e o de “cão rafeiro”. Por oposição ao primeiro, este último seria um cão sem raça específica.

CARÁCTER

O temperamento do cão rafeiro depende de três aspetos fundamentais: o carácter dos seus progenitores, a sociabilização que teve quando era cachorro e as experiências que tenha ao longo da vida.

Desta forma, um cachorro rafeiro que tenha tido uma sociabilização adequada, cresce sem sofrer experiências traumatizantes; e se os seus pais tiveram temperamentos equilibrados, de certeza vai ser um cão equilibrado, carinhoso, sociável, amigável com as crianças e fácil para ensinar.

A dificuldade para determinar o carácter de um cachorro rafeiro relativamente a um de raça está no facto de se desconhecer, frequentemente, o temperamento que tinham os progenitores (às vezes só se conhece a sua mãe), mas com um bom treino e bons cuidados são muito poucos os cães rafeiros que desenvolvem problemas de comportamento.

CUIDADOS

Quer se trate de um cão rafeiro pequeno, medio, grande ou gigante, tem de receber sempre determinados cuidados básicos no que diz respeito à higiene e à saúde.

  • Higiene

    • Quando um cão vive dentro de casa, não costuma ser preciso dar-lhe banho com frequência uma vez que não se suja demasiado. Por isso, a frequência do banho pode ser uma vez por mês, ou até menos.
    • Pelo contrário, a escovagem é imprescindível, de forma a contribuir para a saúde da sua pele e o brilho do seu pelo. Ao retirar o pelo solto com uma boa escovagem, massaja-se a pele e retira-se a sujidade superficial.
    • Quando forem utilizados produtos cosméticos, estes devem estar formulados para cães porque o pH da sua pele é diferente do pH do ser humano.
  • Saúde

    • Existe uma série de doenças que se podem prevenir com vacinas. Consulte o veterinário sobre quais devem ser administradas e quando. Um exemplo muito claro é o da raiva, uma doença que se considera erradicada na Europa devido às campanhas de vacinação realizadas desde há décadas.
    • Também há um grande número de parasitas que podem afetar o cão. Existem parasitas internos (céstodos e nemátodos) e externos (pulgas, carraças e mosquitos), mas todos podem ser combatidos. Consulte o veterinário.
    • O exercício é necessário para manter a saúde do cão, pois não só o ajuda a manter um ótimo estado de forma, mas também se repercute no seu carácter.

PARTICULARIDADES

Cada cão rafeiro tem uma história própria, mas em função do tamanho pode ter determinadas particularidades.

  • Cães pequenhos

    • Os cães com um peso inferior a 10 quilos quando adultos têm uma elevadíssima necessidade de energia e muita facilidade para a formação de sarro. Como também passam muito tempo ao colo dos donos é frequente que tenham prisão de ventre, devido à falta de exercício que isso significa.
    • Todas estas necessidades podem ser cobertas com a gama X-Small, adaptada para os cães com um peso inferior a 4 quilos, e a gama Mini formulada para cães com um peso entre  1 e 10 quilos quando adultos.
  • Cães médios

    • As necessidades nutricionais dos cães com um peso entre 11 e 25 quilos são diferentes das de outros tamanhos, não só porque o desenvolvimento se conclui por volta dos 12 meses – e durante esse período precisam de um grande fornecimento de energia – mas também pela quantidade de ácidos gordos adequados para a saúde da pele, assim como fibras e proteínas de elevada qualidade para favorecer uma ótima digestibilidade. Todos estes aspetos nutricionais são tidos em conta na altura de formular a gama Medium.
  • Cães grandes e gigantes

    • Devido ao tamanho, os cães grandes e gigantes precisam de cuidados extras com as articulações. Além disso, como têm o aparelho digestivo relativamente curto comparado com o seu tamanho, não é de estranhar que apresentem sensibilidade digestiva, e inclusive uma certa propensão à torção de estômago.
    • Estas sensibilidades têm a resposta nutricional com a gama Maxi, para cães entre 25 e 44 quilos, e com a gama Giant, para cães cujo peso seja superior a 45 quilos.
  • Alimentação mista

    • Devido à sua fórmula adaptada às necessidades nutricionais de cada cão e à fácil conservação, uma escolha perfeita é o alimento seco. No entanto, também se pode dar uma dieta mista que fornece todos os nutrientes na proporção adequada para cada tamanho, ao mesmo tempo que a torna mais apetitosa.
  • Esterilização e idade avançada

    • Pouco a pouco vai-se  instaurando o hábito de esterilizar o cão (como mais um cuidado a ter com ele) porque isso aumenta a esperança de vida e reduz o risco de padecer de cancros do aparelho reprodutor. Como esta intervenção produz mudanças no seu metabolismo, como por exemplo um potencial aumento de peso, é importante adaptar a alimentação.
    • Também durante a idade avançada, o cão tem de receber uma alimentação especial, se bem que esta etapa da vida começa em alturas diferentes conforme o tamanho do cão.

CACHORRO

  • O cachorro rafeiro precisa de cuidados assim que chega a casa, por isso é melhor ter tudo preparado: quer um lugar tranquilo para descansar, quer um ambiente seguro (a nossa casa tem riscos para a sua integridade, tais como, tomadas e cabos).
  • Se tiver dúvidas sobre a saúde do seu cachorro rafeiro, tais como vacinas, desparasitações ou, por exemplo, a melhor maneira de limpar-lhe as orelhas, deve consultar um veterinário.
  • Um cão adulto só pode ser equilibrado se receber um treino correto desde cachorro, facto a que normalmente  não se dá a devida importância.
  • Certifique-se de que o seu cachorro tem sempre água à disposição. A desidratação pode pôr em risco a sua vida.
  • Como a alimentação é primordial para o desenvolvimento do seu cachorro e da sua saúde futura saúde, recomendamos-lhe a nossa secção “Como alimentar o cachorro”.

O que é a sensibilidade digestiva e como solucioná-la?

Sensibilidade digestiva cães - Nutrição canina

Algumas das doenças digestivas que precisam do diagnóstico de um veterinário e de tratamento adequado são a pancreatite, a colite, a má absorção no intestino delgado, a gastroenterite e a insuficiência pancreática, entre muitas outras. No entanto, nenhuma destas doenças deve ser confundida com a sensibilidade digestiva.

(mais…)

A comichão e o ato de coçar

Picores y rascado

O ato de coçar é um comportamento normal no cão, como noutros animais, mas pode tornar-se num problema quando a necessidade de coçar torna-se insuportável ou muito frequente.

Em livros técnicos, a comichão é chamada de prurido, algo que pode ser proveniente de múltiplos fatores, nem sempre fáceis de identificar. As principais causas são os parasitas externos, como as pulgas, as infeções e alergias, por exemplo, nos alimentos ou nos ácaros do pó ou numa combinação de todos eles.

Apenas o veterinário será capaz de identificar o motivo pelo qual o nosso cão se coça e saberá como aliviá-lo. Este processo é demorado e irá requerer, muito provavelmente, testes adicionais. Poder-se-á, por exemplo, prescrever uma dieta hipoalergénica, como o único alimento, durante várias semanas, para confirmar ou excluir uma reação adversa a alimentos.

Por vezes, alguns cães coçam-se mais do que é habitual, sem que exista uma doença que cause a comichão. Nestes casos, determinados alimentos específicos, que são constituídos por combinações especiais de nutrientes, podem ser bastante benéficos para a pele e na redução dessa comichão.

Para evitar que o cão esteja desconfortável devido a essa comichão, deve proporcionar-lhe um alimento completo e equilibrado, que se adapte às suas necessidades, bem como seguir o programa de desparasitação preventiva indicado pelo veterinário. Por fim, não devemos hesitar em questionar um profissional, se nos parecer que a comichão começa a ficar descontrolada.

A osteoartrite canina

La artrosis canina

A osteoartrite canina é uma doença degenerativa e dolorosa que afeta mais de um quarto da população canina.

Esta patologia conduz à degeneração progressiva da cartilagem articular, que, no cão está intimamente relacionada com o excesso de peso. Assim, produz-se um ciclo vicioso: a osteoartrite faz com que o cão faça menos exercício, que por sua vez faz com que ele engorde e seja exercida uma maior pressão sobre as articulações, agravando assim o quadro clínico e fazendo com que o cão se mova cada vez menos.

Um cão com osteoartrite apresenta alguns sintomas característicos da dor: coxear, dificuldade em levantar-se ou esticar-se, rigidez ao caminhar ou recusa em subir para os locais habituais, como o sofá, a cama ou o carro. Também poderá ser observado um menor entusiasmo, quando cumprimenta os donos ou a diminuição do entusiasmo, quando sai para passear.

O tratamento visa aliviar a dor e melhorar o estado geral do animal, bem como a sua qualidade de vida. Se existir excesso de peso, a primeira medida que deverá ser tomada é um programa de perda de peso. Em muitos casos, quando é iniciada a perda de peso, é observada uma melhoria significativa dos sintomas. As medidas terapêuticas poderão incluir a cirurgia, analgésicos, anti-inflamatórios, condroprotetores e/ou fisioterapia, bem como alimentos específicos com prescrição veterinária para problemas articulares.

É possível prevenir a displasia da anca nos cães?

¿Se puede prevenir la displasia de cadera en el perro?

A displasia da anca é uma doença de origem genética, bastante complexa, e que se caracteriza por uma malformação da anca.

Apesar da displasia da anca ter a componente genética, e ser mais comum em cães de grande porte e de porte gigante, ela é também influenciada por fatores externos, como o peso, a dieta e o exercício. Portanto, a sua prevenção é difícil, mas não impossível.

A primeira medida preventiva é uma boa escolha do cachorro. Devem eleger-se aqueles cujos pais e avós não apresentem displasia, e, caso possa observar toda a ninhada, deverá evitar a escolha de um cachorro que aparente ter problemas de mobilidade na parte posterior.

Durante o crescimento, devemos alimentá-lo de forma adequada, evitando os excessos de energia. Apenas será necessário seguir algumas recomendações simples:

  • Proporcionar um alimento adaptado à sua idade e tamanho.
  • Controlar a dose e respeitar as doses recomendados.
  • Não adicionar mais nada a um alimento já equilibrado.

Por outro lado, nesta fase devem evitar-se exercícios intensos, como o salto de obstáculos, longas caminhadas ou corridas em superfícies duras. Pelo contrário, a natação é altamente recomendada, pois favorece o desenvolvimento muscular e evita tensões articulares excessivas.

A esterilização do cão

La esterilización del perro

Há alguns anos, era impensável que os cães de companhia fossem esterilizados, mas, hoje em dia, são cada vez mais os cães que passam pelo bloco operatório para eliminar a sua capacidade reprodutiva.

Uma das razões pelas quais o dono toma esta decisão é a possibilidade de controlar o comportamento sexual canino e, com ela, a possibilidade de uma reprodução não desejada, já que com a castração o cio desaparece, da mesma forma que desaparece também a agressividade de alguns machos para com outros, numa atitude de dominância.

Na verdade, existem vários métodos de esterilização canina, e as possibilidades de reprodução desaparecem em todos eles, mas apenas um elimina o comportamento sexual a ela associado, a castração.

Nas fêmeas é realizada um ovariohisterectomia, isto é, os ovários e o útero são removidos; já no macho é feita a remoção dos testículos, a que que os veterinários chamam orquiectomia.

Quer seja macho ou fêmea, a castração produz vários impactos positivos na sua saúde: aumenta a esperança de vida e reduz o risco de desenvolver determinados tipos de cancro, associados ao aparelho geniturinário.

No entanto, ela também produz uma mudança no metabolismo exigindo um alimento adaptado a estas novas necessidades, porque, por um lado, o seu apetite aumentará e, por outro, as suas necessidades energéticas serão reduzidas.

Por esta razão, nada melhor do que escolher um alimento que satisfaça o seu apetite, mas que contenha uma menor quantidade de calorias, relativamente a um alimento formulado para um cão que não seja esterilizado; por isso, deverá conter todos os nutrientes necessários para a manutenção da sua saúde.

O controlo do excesso de peso deverá ser tido em atenção também nos cães não esterilizados, já que é muito prejudicial para os ossos e para o aparelho urinário; para disso, poderá desenvolver diversas doenças cardíacas e respiratórias, assim como tumores da mama.

 

O cão com excesso de peso

El perro con sobrepeso

Parece que o excesso de peso não é apenas um problema em crescendo no ser humano, dado que este mesmo mesmo problema começa a ser incluído como um dos transtornos mais frequentes nos nossos cães, cada vez mais humanizados.

Considera-se que um cão é obeso quando seu peso corporal é superior a 20-30 por cento da sua massa corporal (dependendo das características do próprio cão), tratando-se de uma doença multi-fatorial, ou seja, que envolve vários fatores, tais como a raça, idade, sexo, esterilização, tratamentos contracetivos, doenças endócrinas, medicamentos e certos hábitos, como o sedentarismo.

A melhor maneira de lutar contra a obesidade é preveni-la. Contudo, caso seja necessário implementar um tratamento, devido à existência de excesso de peso, este deverá ser feito o quanto antes, já que os cães obesos têm uma esperança de vida menor e sofrem de problemas osteoarticulares irreversíveis. Além disso, este tipo de doença faz com que o cão não queira fazer exercício, entrando, assim, num ciclo vicioso, do qual é praticamente impossível sair.

Devemos também combater obesidade porque ela encontra-se frequentemente associada à diabetes, uma vez que o excesso de peso modifica o metabolismo e favorece a resistência à insulina. Para além disso, o excesso de peso diminui a capacidade de resposta imunológica, produz desequilíbrios hormonais, aumenta o risco de tumores da mama e de problemas de pele, entre outros tipos de gravidade.

A origem do excesso de peso está no desequilíbrio entre a quantidade de energia que é ingerida e aquela que é gasta, sendo que, para manter o peso ideal, é necessário fornecer uma alimentação com ingestão calórica adequada, controlar a ração diária e garantir um determinado nível de atividade. Quando o cão tem excesso de peso é necessária uma dieta de emagrecimento, com um alimento cuja ingestão calórica seja restrita, combinada com o aumento do exercício diário e o cumprimento à risca da quantidade de ração.

As características do alimento para perder peso são muito importantes. Assim, ele deverá proporcionar um menor consumo energético, através da diminuição do nível de gordura, que é a principal fonte de energia, e adiciona-se L-carnitina, que promove a queima de gorduras. No entanto, a quantidade de proteínas poderá ser aumentada, devido a estas serem menos energéticas que as gorduras, e ajudarem na manutenção da massa muscular, ou pode aumentar-se a quantidade de fibras, que são o nutriente que menos energia possui, e que, simultaneamente, fornece uma sensação de saciedade.

A este respeito, e por forma a evitar que o cão reclame uma quantidade extra de comida entre as refeições, e para que seja mais fácil racioná-la, algumas dietas direcionadas para a obesidade proporcionam uma maior sensação de saciedade, integrando altos níveis de fibras de vários tipos, como o psílio, e outras fibras com grande capacidade de absorção de água.

Outro aspeto a ter em conta no alimento destinado à perda de peso é a dose ser maior, o que é possível graças a croquetes de baixa densidade.

Uma vez que existe uma maior sobrecarga das articulações nos animais obesos, é importante que os alimentos para controlar o peso tenham condroprotetores (glucosamina e condroitina). Por outro lado, e apesar da redução do nível de gordura, a ingestão de ácidos gordos e de vitaminas deverá ser adequada, por forma a garantir o bom estado da pele e do pelo.

Por fim, a cereja no topo do bolo, um alimento realmente adequado ao controlo da obesidade é que seja saboroso, sobretudo porque muitas vezes os cães obesos estão habituados a comer alimentos suculentos.

Como se trata de uma doença, o nosso conselho é que o processo de perda de peso seja supervisionado por um veterinário, pois, em situações em que o peso seja muito elevado, o processo deve ser mais lento. No entanto, nenhum tratamento será eficaz se não houver um compromisso sincero do dono e de todo o ambiente que envolve o cão.