A responsabilidade de ter um gato

Escolher um gato deve ser uma das decisões mais importantes da nossa vida, na medida em que estamos a assumir a responsabilidade de cuidar de outro ser vivo, que irá necessitar de cuidados concretos.

A importância desta decisão reside no facto de que os cuidados do gato (e os cuidados do gatinho) devem ser prestados ao longo de toda a sua vida e de que há uma série de detalhes a ser tidos em conta: desde o custo dos cuidados de higiene até ao tempo que o gato exige, não esquecendo os requisitos próprios do gato em questão e os cuidados veterinários, para além de outros, como por exemplo o custo de aquisição do animal, se decidirmos comprar o gato.

É preciso ponderar cuidadosamente

O compromisso de ter um gato não deve resultar de um impulso momentâneo em frente à vitrine de uma loja de animais, face a um anúncio na internet, à proposta de um amigo que acaba de ter uma ninhada ou a uma visita a um abrigo de animais com uma ampla lista de gatos para adoção. A decisão de ter um gato deve ser bem ponderada e resultar de uma análise rigorosa e honesta, tanto para que a escolha seja a mais adequada como para que não haja arrependimentos.

É justamente para evitar arrependimentos que, se tivermos a intenção de oferecer um gato, devemos ter a certeza absoluta de que a pessoa que o irá receber realmente o quer e que, além disso, é o gato adequado ao seu estilo de vida e gostos pessoais.

Na nossa opinião os animais de estimação não são presentes, mas se não partilhar da mesma opinião, recomendamos-lhe encarecidamente que permita ser o futuro pet owner a escolher o melhor gato para si mesmo. Desta forma, a probabilidade de sucesso é muito maior.

Se não sabe como encontrar um gato, mas já tem a certeza de que quer ter um, recomendamos-lhe que visite a nossa secção “Qual é o gato adequado para mim”.

responsabilidad-de-tener-un-gato-interior

O abandono nunca é uma opção

A responsabilidade de ter um gato é um compromisso que deve ser assumido durante toda a vida do animal, por isso realçamos que o abandono é injusto para o animal, é proibido por lei e supõe uma ação de grande irresponsabilidade face à sociedade em geral.

Apesar de em Portugal o abandono de animais ser um delito, suscetível a ser punido com pena de prisão, o número de animais abandonados aumenta de ano para ano, com valores superiores aos 20 porcento. Isto significa que todos os anos são abandonados cerca de 40.000 animais de estimação em Portugal.

Analisados os prós e os contras, os benefícios de ter um gato superam largamente os inconvenientes, mas se não tiver a certeza de poder assumir essa responsabilidade, o melhor é não avançar, não abandone o seu gato: ele dependerá de si durante toda a sua vida.