listbox

Cão da Serra da Estrela

  • Nome da raça: Cão da Serra da Estrela
    Classificação: Gr. 2, Secção 2.2 (Molossóides, tipo Montanha. Sem prova de trabalho)
    Nome de origem: Cão da Serra da Estrela
    Tamanho: Gigantes
    Outros nomes:
  • Altura ao garrote machos:

    65-73 cm (tolerância de + 2 cm).

    Peso machos:

    45-60 kg.
  • Altura ao garrote fêmeas:

    62-69 cm (tolerância de + 2 cm).

    Peso fêmeas:

    35-45 kg.
  • País de origem:

    Portugal
Imagem doCão da Serra da Estrela

Características físicas

Forte, volumosa, comprida e ligeiramente convexa vista de perfil; bem ligada e proporcionada ao corpo, bem como o crânio em relação à face; cada parte está em perfeita harmonia com as outras. A pele é lisa no crânio e na face.

Região craniana
Crânio: bem desenvolvido, arredondado, com os eixos longitudinais superiores crânio-faciais ligeiramente divergentes, convexo de perfil, as arcadas supraciliares são pouco desenvolvidas com um sulco frontal pouco aparente; a protuberância occipital não é saliente. Depressão nasal frontal (Stop) pouco pronunciada, está a uma distância aproximadamente igual da extremidade do nariz e da protuberância occipital.

Região facial
Trufa: direita e em linha com o chanfro, narinas bem abertas; largas, de cor preta. Chanfro: longo; estreitando-se para a extremidade, sem ser pontiagudo; tende para o retilíneo na sua extensão, mas ligeiramente convexo na sua extremidade. Lábios: bem desenvolvidos sem serem espessos; bem sobrepostos, não caídos; a mucosa bucal, o céu-da-boca, bem como os bordos labiais são intensamente pigmentados de preto. Maxilas/dentes: boca bem rasgada com maxilas bem desenvolvidas; dentição completa com dentes fortes, brancos, bem implantados com uma boa oclusão; a articulação em tesoura é preferível, mas a articulação em pinça é aceite.
Áreas do cão
De tamanho médio a pequeno, de forma oval, horizontais, de tamanho igual e bem abertos, de expressão atenta e calma; de cor âmbar escuro, de preferência. As pálpebras fecham-se bem e os bordos são orlados a preto. As sobrancelhas são ligeiramente marcadas.
Áreas do cão
Inserção média; caídas, inclinadas para trás, caindo lateralmente, encostadas à cabeça, com o bordo interno visível (em “rosa”); finas, de forma triangular, arredondadas na extremidade; pequenas em relação ao corpo.
Áreas do cão
Linha superior: direita. Quase horizontal. Dorso: bem musculado de preferência curto. Lombo/Rim: Curto; largo; bem musculado e ligado à garupa. Garupa: ligeiramente descaída; curta; larga e musculada. A altura da garupa deve ser igual ou ligeiramente superior à altura ao garrote. Peito: largo; alto; bem arqueado, sem ser cilíndrico, e bem descido, junto ao cotovelo ou ligeiramente abaixo. Linha inferior e ventre: a linha inferior deve elevar-se, de uma forma gradual, mas suavemente, do esterno às virilhas; o abdómen não deve ser muito largo em relação à corpulência do animal, ligando-se harmoniosamente com as regiões vizinhas.

Pescoço
Curto, direito e espesso; bem saído e bem ligado aos ombros; barbela pouco desenvolvida, sem exageros.
Áreas do cão
Membros anteriores: bem aprumados com ossatura forte, e articulações espessas, angulações medianamente abertas, andamentos fáceis. Antebraços: direitos, paralelos, compridos, com forte ossatura duma forma quase cilíndrica. Mãos: bem proporcionadas, nem muito redondas, nem muito longas, entre pés de gato e pés de lebre (nunca espalmadas); os dedos são grossos providos de pêlos abundantes nos espaços interdigitais e entre as almofadas; as unhas são escuras, preferencialmente pretas, bem desenvolvidas; as almofadas são espessas e duras.

Membros posteriores: aprumados, ossatura forte com articulações espessas, angulações medianamente abertas, movimentos fáceis. Jarrete: pouco descido, angulação medianamente aberta. O jarrete nem é virado para dentro nem para fora. Metatarso: Vertical, quase cilíndrico. Presença possível de presunhos simples ou duplos. Patas: idênticas às mãos.
Áreas do cão
Forte, muito abundante, ligeiramente grosseiro, sem demasiada aspereza, fazendo lembrar o pelo de cabra. O sub-pelo é constituído por pelos finos, curtos, abundantes e emaranhados, normalmente mais claros que a pelagem.

Variedade de pelo comprido: pelo liso ou ligeiramente ondulado de comprimento desigual em certas regiões do corpo. Nos membros, abaixo dos cotovelos e dos jarretes, é mais curto e denso, assim como na cabeça; nas orelhas, o pelo diminui de comprimento da base à sua extremidade, tornando-se mais fino e macio. É mais comprido na cauda, que é farta, espessa e franjada, em volta do pescoço, nas nádegas que são abundantemente franjadas, bem como na face posterior dos antebraços.

Variedade de pelo curto: pelo liso, de comprimento igual em todo o corpo, ligeiramente mais curto na cabeça e membros, sem franjas.
Áreas do cão
Média inserção; inteira; comprida; grossa; porte abaixo da horizontal, em forma de cimitarra, formando gancho na extremidade. Em repouso cai naturalmente entre as coxas, chegando pelo menos a tocar o jarrete; quando o cão está atento e em ação, a cauda ultrapassa a horizontal, encurvando-se para cima e para diante, para o lado e para baixo, sem ser levada sobre a garupa. Deve ser bem guarnecida de pelos, sendo franjada na variedade de pelo comprido.
Áreas do cão
São admitidas e consideradas típicas as seguintes cores: uni-cor: amarelo, dourado e cinza em todas as suas tonalidades.
Lobeiros: Tonalidades de dourado, amarelo e cinzento, muitas vezes em tons pálidos e escuros.
Tigrados: dourados, amarelo e cinza, cor de carvão. Na região crânio-facial é típica a máscara de cor negra.
As marcas brancas são admitidas apenas nas extremidades das mãos e patas bem como numa zona muito limitada da base do pescoço e peitoral.
Áreas do cão

Informação geral

Fotos