Os exames veterinários

Las revisiones veterinarias

A saúde é um dos pilares fundamentais para que qualquer ser vivo, seja ele um ser humano ou um animal, desfrute de uma qualidade de vida adequada.

No entanto, é frequente só dar-se importância à saúde do gato se ele apresentar alguns sintomas relacionados com doenças; nesse caso, levamo-lo ao veterinário. Contudo, existe um método de prevenção que pode evitar que muitas doenças apareçam nos gatos, assim como gastos consideráveis para o dono que são os exames veterinários.

Qualquer que seja a proveniência do gato, este deve ser examinado por um veterinário. Em praticamente todos os casos onde a proveniência do gato é conhecida, os exames limitam-se a uma avaliação geral e a implementação de um plano de desparasitação e vacinação. Contudo, é igualmente recomendado, por muito conhecida que seja a sua proveniência, e obrigatório, caso a proveniência do animal não seja exata (exceto se nos informarem sobre os resultados das análises realizadas), permitir que o veterinário efetue alguns testes para descartar doenças preexistentes (análise à leucemia, imunodeficiência, etc.).

A partir desse primeiro exame, o gato deve visitar o veterinário pelo menos uma vez por ano, para um exame de rotina e continuar com o plano de vacinação. No entanto, ainda existe muito o mito de que os gatos de interior, que não têm qualquer acesso ao exterior, não necessitam de qualquer medida de prevenção veterinária, nem de vacinas, o que está completamente errado.

Um gato, seja qual for o seu estilo de vida, deve visitar uma clínica veterinária pelo menos uma vez por ano. Ao fazer isso, são evitadas surpresas indesejáveis, difíceis de gerir quando a doença já está estabelecida.

Para além desta visita anual, o dono deve estar disposto a levar o animal ao veterinário para outros exames, igualmente muito importantes, tais como os orais e os geriátricos, citando dois dos mais comuns.

Infelizmente estes exames são vistos frequentemente como desnecessários pelo dono, que os vê com o único objetivo da obtenção de lucros. Contudo, o objetivo principal é a saúde do gato, sendo que estes exames podem prevenir a aparição de muitas doenças.

Neste caso, se verificarmos regularmente a cavidade oral, os dentes e as gengivas do gato, podem-se evitar muitos problemas que, para além dos danos físicos óbvios para ele, provocará igualmente “danos” elevados nas finanças do dono. Uma boca saudável é a garantia de que o animal ingere o seu alimento corretamente, que não sente desconforto, dores ou infeções, o que é vital para ele.

E os gatos seniores?

Um gato é considerado sénior a partir dos 7 anos de idade, aproximadamente. Esta é uma fase onde devemos estar mais conscientes de alterações na sua saúde.

Por isso, é muito importante efetuar um exame anual a estes animais: análises ao sangue, um check-up geral e todos os meios de diagnóstico necessários para a deteção de qualquer patologia que possa estar a afetar o nosso melhor amigo.

Por exemplo, os rins dos gatos e o seu sistema urinário devem ser examinados com especial atenção. Se forem efetuados os testes adequados para cada faixa etária, poderão estabelecer-se dietas e tratamentos adaptados, permitindo ao nosso melhor amigo viver mais anos e com melhor qualidade de vida.

Resumindo, os exames médicos regulares são essenciais para todos os seres vivos. Nós humanos temos a capacidade de decidir se vamos ao médico para fazer um exame de rotina, mas o gato não tem essa capacidade. Façamos isso por ele, não nos iremos arrepender!