Nutrientes básicos para uma alimentação responsável

O gato precisa de uma série de nutrientes em proporções e quantidades muito específicas. Explicamos-lhe quais são esses nutrientes que precisa e que lhe proporcionam a alimentação adequada.

NUTRIENTES ESSENCIAIS

  • Água. É um nutriente fundamental para as restantes funções do organismo. Por isso, o gato deve sempre ter água à sua disposição e devemos ter a certeza que a bebe, já que por natureza nem sempre bebe toda a que deveria.
  • Proteínas. O seu organismo usa-as para construir e regenerar os tecidos, assim como para fabricar as enzimas que logo realizam as reações químicas que o mantêm vivo. Alguns dos aminoácidos denominam-se “essenciais” porque são necessários para a saúde dele e o organismo não os pode sintetizar.
  • Hidratos de carbono. Dentro deste grupo incluem-se os amidos e os açúcares, que oferecem energia para usar imediatamente. Também estão as fibras, tal como a celulose e os psyllium e os prebióticos, como por exemplo os FOS. Os gatos podem digerir e assimilar perfeitamente os amidos quando são tratados adequadamente, como se faz com a elaboração dos alimentos secos, e constituem uma excelente fonte de energia para eles.
  • Lípidos. As gorduras oferecem um elevado conteúdo de energia e ácidos gordos essenciais. Destes, os mais conhecidos são os ácidos gordos omega 3 e omega 6. Os ácidos gordos omega 3 são conhecidos pelas suas propriedades anti-inflamatórias, sobretudo o EPA e o DHA que se encontram no peixe azul. Os ácidos gordos omega 6 são importantes para manter a saúde da pele e a qualidade da pelagem. Os óleos vegetais são fontes de omega 6, tal como o de soja e o de girassol.
  • Minerais. Indispensáveis para determinadas funções que não têm uma origem orgânica.
    • Macroelementos: o organismo precisa deles em quantidades relativamente grandes. Este é o caso do fósforo, que transporta a energia; o magnésio, imprescindível para que se produzam os impulsos nervosos; o potássio e o sódio, que intervêm no equilíbrio iónico celular; e o cálcio, que permite a ossificação dos ossos.
    • Oligoelementos: o organismo necesita-os, mas em menor quantidade. A este grupo pertence o ferro, imprescindível para sintetizar a hemoglobina nos glóbulos vermelhos (os que levam o oxigénio às células); o zinco, para o desenvolvimento cutâneo; o cobre, para sintetizar os pigmentos da pele; o iodo, que ajuda ao funcionamento da glândula tiroide; e o selénio, que atua como antioxidante.
  • Vitaminas. São muitas e desempenham funções muito variadas no organismo do seu gato, regulando o funcionamento das células. Costumam receber uma denominação alfabética, apesar de existirem algumas vitaminas com nome próprio:
    • A biotina (vitamina H): imprescindível para a pele e a pelagem.
    • A tiamina (B1): básica para o funcionamento do sistema nervoso.
    • A riboflavina (B2): chave para o metabolismo da pele.
    • O ácido pantoténico (B5): indispensável para o crescimento.
    • A piroxidina (B6): contribui à energia celular.

OUTROS NUTRIENTES

Existe um grande grupo de nutrientes que não são indispensáveis, mas cuja presença na alimentação do seu gato significa um grande valor acrescentado. Conhecem-se como nutracêuticos e podem ter funções muito variadas, atuando como antioxidantes ou condroprotetores.