O microchip nos gatos: segurança sem desculpas

articulo_-micro-chip_gatos_newIdentificar as nossas mascotes com microchip é obrigatório em Portugal para todos os gatos nascidos depois de 1 de julho de 2008. Até aqui só era obrigatório para o grupo de animais considerados potencialmente perigosos, mas agora é algo que deve ter em conta se vai ter um gato. Pergunte ao seu veterinário.
É que, para além de ser a lei, há muito boas razões para identificar o seu amigo felino com um microchip. Sabe porquê?

Por cada desculpa há uma boa razão para fazê-lo

  • “O meu gato não sai à rua”. Ainda que não passeie a sua mascote como se fosse um cão, ou ainda que não tenha acesso ao exterior, isto não significa que não possa perder-se. Os gatos são muito ágeis e curiosos: podem saltar de uma janela e não saber voltar, assustarem-se se estão num lugar desconhecido, etc. O seu gato pode perder-se. Previna-se! E, se se perder, notifique as duas entidades existentes em Portugal: SIRA e SICAFE.
  • “O meu gato vai sofrer quando o colocarem”. É verdade que os felinos não costumam gostar de picadas, mas é a única coisa que vai acontecer à sua mascote. É tão pequeno como um grão de arroz e a sua introdução não precisa de anestesia, quase não vai notar quando o colocarem no pescoço e, sem dúvida, não vai senti-lo o resto da sua vida.
  • “De certeza que se estraga”. Os microchips estão dentro de uma cápsula de vidro e, além disso, não contêm partes que se movem nem pilhas. São tão resistentes que devem durar 25 anos em perfeito estado.
  • “Se me mudo, terei que voltar a colocá-lo”. Embora os dados associados ao microchip mudem, não é preciso voltar a identificar o gato. É suficiente atualizar a informação na base de dados, sem incomodar a sua mascote. A mudança é rápida e simples!

Além disso, se viaja para fora de Portugal com o seu gato, o microchip dar-lhe-á tranquilidade! Graças ao registo de mascotes europeias europetnet, se o seu amigo felino se perder, por exemplo, durante as férias, também poderá ser identificado e entrarão em contacto consigo para que possam voltar juntos a casa.

Para além de todas estas boas razões, o microchip permite sancionar aqueles donos que tenham abandonado as suas mascotes, atuando como elemento dissuasor e promovendo uma posse responsável e comprometida.

Sabemos que o seu gato é único, não duvide em identificá-lo corretamente e terá também um número único que ficará registado no censo de mascotes e que lhe permitirá reencontrar-se com o seu melhor amigo no caso de se perder.