O meu primeiro animal de estimação

Norvegien

Ter um animal de estimação é uma fonte de bem-estar e de satisfação, cujos benefícios estão comprovados não só pelos seus donos, mas também por inúmeros estudos científicos e sociológicos.

À exceção de quem não gosta de animais, todos nós somos bons candidatos a ter um animal de estimação, apesar de estes serem uma fonte de grande satisfação para crianças e pessoas que vivam sozinhas, especialmente os idosos. São-no igualmente para quem tem algum tipo de transtorno que os incapacita parcialmente. Para eles, a presença de um animal de estimação melhora a sua mobilidade ou simplesmente, e tal como outros, faz com que se sintam mais felizes.

Em qualquer um dos casos, a escolha de um animal de estimação não deve ser feita pelo impulso do momento, ou seja, quando nos encontramos perante uma montra de uma loja de animais de estimação, quando vermos um anúncio na Internet e quando um amigo nos oferece um exemplar da sua ninhada. Ela requer uma análise rigorosa e ponderada da nossa parte, de forma a não nos arrependermos da decisão e que a escolha seja a adequada.

Neste sentido, se tivermos a intenção de dar um animal de estimação, devemos ter a certeza absoluta de que a pessoa que irá recebê-lo deseja realmente um animal de estimação e que, para além disso, seja o animal de estimação certo para o seu estilo de vida e gostos. Ou seja, só devemos dá-lo se for o seu futuro dono a escolhê-lo.

Cada pessoa tem um o seu animal de estimação perfeito

mi-primera-mascota-2

Embora todos nós possamos considerar-nos potenciais donos de animais de estimação, e mesmo que conheçamos e respeitemos as suas verdadeiras necessidades, nem todos os animais de estimação são adequados a todos nós, pelo que a seleção minuciosa, de acordo com o nosso tipo de vida, personalidade e gostos, deve ser um aspeto essencial na escolha do animal.

Independentemente do animal de estimação que escolhermos e do método que utilizemos para o obter, jamais poderemos deixar para segundo plano o facto de ser um ser vivo completamente dependente do seu dono, nunca tendo a oportunidade de aprender a lutar pelo seu sustento ou identificar o perigo.

Em troca de alguns cuidados, o animal de estimação irá encher-nos de amor e alegria de viver, como se a presença de um animal nos levasse de volta a um mundo ancestral relacionado com a natureza guardada na nossa mente, mas que consideramos demasiado primordial para manter o equilíbrio emocional.