O meu gato não come, o que é que posso fazer?

Gato comiendo ilustrando el artículo sobre la pérdida de apetito

Quando um gato deixa de comer (anorexia) ou come significativamente menos do normal (hiporexia), o primeiro que devemos considerar é que está a ocorrer alguma coisa. As razões pelas quais um gato pode perder o apetite são várias, mas podem classificar-se em dois grandes grupos: externas e internas.

Razões externas pelas quais o gato pode deixar de comer

  • Mudanças no entorno dele. Os gatos têm perfeitamente controlado o território deles e toleram mal as mudanças. Por isso, se muda de móveis, e muito mais se muda de casa, não estranhe que o gato mostre falta de apetite. Neste apartado, também incluímos as viagens, as visitas de pessoas desconhecidas, épocas de celebrações, os comedouros novos e as mudanças de sítio do comedouro, por citar só algumas causas.
  • Chegada de outro gato. Se a simples mudança de um móvel pode produzir a perda do apetite do gato, imagine o que significa para ele a chegada de outro gato ao território dele.
  • Mudanças de alimentação. Alguns gatos sofrem o que os especialistas chamam neofobia alimentar, de modo que não toleram as mudanças bruscas de alimentação e deixam de comer. Estas mudanças de alimentação podem ser obrigatórias, por exemplo, ao mudar de alimento de gatinho a adulto ou depois da esterilização. Para prevenir esta rejeição, nada melhor do que fazer uma boa transição alimentar, o que, além disso, previne problemas gastrointestinais.

Outra ocasião que significa uma mudança de alimentação é a presença de alguma doença renal, hepática, etc. Nestes casos, deve-se ser muito estrito na altura de seguir as indicações do veterinário.

  • Intoxicações. Apesar de uma intoxicação poder ser considerada uma doença, tratamo-la à parte porque tem elementos exógenos que se podemn controlar, como o acesso a produtos de limpeza, a plantas tóxicas, a medicamentos, etc.

Razões internas pelas quais um gato pode deixar de comer

  • Comportamento reprodutivo. O cio nas fêmeas e o impulso natural do macho nessa fase podem causar a perda do apetite. Mais uma razão para recomendar a esterilização dos gatos de ambos os sexos.
  • Doenças. Um gato pode deixar de comer quando tem alguma doença, de qualquer tipo, como os transtornos periodontais. O simples contacto do alimento com as gengivas pode produzir uma dor tal que é suficiente para o gato não querer comer.
  • Os gatos mais velhos podem perder o apetite influído pela perda de olfato, o que faz com que o alimento não seja tão atraente. Outra causa muito frequente pela qual os gatos mais velhos deixam de comer é a perda das peças dentais. Recordamos que há alimentos especiais para gatos mais velhos, que não só têm uns croquetes adaptadas à idade deles, mas também a sua composição.

O que devo fazer se o meu gato perde o apetite?

  1. Visite o veterinário. Para descartar que o seu gato deixou de comer porque tem alguma doença, o primeiro que deve fazer é levá-lo ao veterinário. Ele fará as provas necessárias e dir-lhe-á o tratamento que deve seguir.
  2. Respeitar os conselhos do veterinário. Em nenhum dos casos deve fazer coisas por iniciativa própria para tratar um gato que deixou de comer. Algo aparentemente sem importância ou “saudável”, como dar-lhe um bocado de frango cozido, pode ser inadequado segundo que casos.
  3. Mudar a alimentação. Só se deve mudar a alimentação de um gato que não come e tem uma doença se lhe aconselha o veterinário. Uma vez descartada a presença de alguma doença que provoque a perda de apetite, deve seguir algumas pautas para convencer o seu gato saudável a voltar a comer.

Como alimentar um gato saudável que não quer comer o alimento habitual dele

  • Juntar alimentos húmidos à dieta dele. A alimentação mista seca-húmida costuma melhorar muito a palatabilidade da dieta diária do gato. Só é preciso seguir os conselhos do artigo que lhe recomendamos.
  • Mudar o alimento. Nunca deve ser a primeira opção, mas se, por fim, é preciso fazer isto, primeiro deve-se escolher um alimento que esteja formulado para as necessidades particulares dele (a idade, se sai de casa, se está esterilizado, etc.). Esta mudança, se o seu veterinário não lhe diz o contrário, deve fazer-se paulatinamente, já que as mudanças bruscas de alimentação não só podem criar rejeição, mas também podem produzir transtornos gastrointestinais, tal como diarreias.
  • Voltar a hidratar o alimento seco. Pode surpreender, mas alguns gatos rejeitam rotundamente o alimento húmido em lata ou em pacote e, ao contrário, toleram muito melhor que lhe coloque o alimento seco habitual dele de molho. Isto pode fazer-se com água morna (nunca a ferver porque altera a composição do alimento) e deixando-o o tempo suficiente para que se ponha molezinho.

Porque é que é importante não deixar o gato sem comer?

À primeira vista, o dono de um gato pode pensar que não há problema se o gato não come durante uns dias e deixa que isto aconteça com a intenção que ele termine por comer devido à fome. No entanto, deixar o gato sem comer durante vários dias pode ser uma decisão errada porque não pode estar mais de três a quatro dias sem ingerir alimentos. Porquê? Porque os órgãos dele são muito sensíveis à falta de alimentação, especialmente o fígado, e começam a sofrer consequências ultrapassado este tempo, o que pode deixar sequelas na saúde dele em longo prazo.