Como cuidar de um gato com problemas renais

como-cuidar-a-un-gato-con-problemas-renales-pt

Tal como no ser humano, o metabolismo do gato produz desperdícios que precisam de ser eliminados do organismo. Alguns deles são hidrossolúveis, daí que a eliminação dependa dos rins.

Quando estes órgãos não cumprem a sua função, um dos transtornos que pode aparecer é a doença renal crónica felina, cuja componente degenerativa faz com que seja mais frequente nos gatos mais velhos; de facto, é a causa principal de morte não acidental nos gatos com mais de 15 anos.

Lamentavelmente, os gatos mais novos também podem padecer de algum tipo de insuficiência renal, devido, entre outras causas, a infeções bacterianas, ou deformações genéticas dos rins, o que coloca em risco a sua saúde.

Esta disfunção não está relacionada com os cálculos renais e muito menos com os cálculos urinários do gato. Não nos deve confundir o facto de que, quer os cálculos urinários, quer a insuficiência renal, requeiram uma alimentação adaptada, já que os alimentos para gatos com problemas urinários não estão relacionados com os alimentos de uma dieta renal para gatos.

Sintomas de doença renal nos gatos

Se um gato bebé tiver hálito a “urina” acima do normal, perder o apetite e emagrecer bastante, desconfie que possa padecer de uma doença renal crónica. Sendo assim, a visita ao veterinário é obrigatória e urgente.

Não devemos deixar a doença avançar porque o gato pode sofrer transtornos nervosos capazes de lhe causar um estado de coma e depois a morte.

Tratamento da doença renal nos gatos

A única pessoa qualificada para diagnosticar a doença renal que afeta o seu gato é o veterinário, que lhe irá fazer os exames considerados necessários, inclusive avaliar se a ureia está alta.

Pela natureza desta doença e apesar da comida para gatos que lhe costuma dar ser saudável e equilibrada, quase de certeza que o veterinário lhe vai recomendar uma mudança da sua alimentação para uma dieta renal para gatos.

Existem métodos inovadores que permitem diagnosticar a doença renal crónica de forma precoce, através de checkups de rotina. Se se diagnosticar numa fase inicial é provável que o veterinário prescreva uma dieta sénior, mas nas fases mais avançadas a dieta renal será a indicada.

Benefícios da comida renal para gatos

Dado que a maior parte dos compostos necessários para o organismo chega através da alimentação, é lógico pensar que a comida do gato é primordial se algum dos sistemas de limpeza falhar. De facto, uma dieta adaptada é um fator essencial no tratamento da doença renal.

Tendo isto em conta, estes são os benefícios dos alimentos recomendados para a insuficiência renal nos gatos:

  • Contribuem para tornar mais lento o avanço da doença devido ao seu baixo conteúdo em fósforo.
  • Melhoram a função renal por conterem ácidos gordos EPA e DHA (omega 3) e antioxidantes.
  • Diminuem o risco de crise urémica pelo limitado conteúdo de proteínas, mas como estas são de elevadíssima qualidade, fica garantido que a cobertura das necessidades proteícas do organismo felino.
  • Têm a capacidade de alcanizarem a urina para combater a acidose metabólica que pode provocar a doença renal no gato.

Por que é que a dieta renal para gatos tem vários alimentos?

Um dos sinais mais graves que um gato com insuficiência renal crónica apresenta é a perda do apetite, que pode ser recuperado com um alimento especialmente apetitoso (palatável). Isto é possível através da textura e do cheiro da comida, por isso, formularam-se sete alimentos renais para gatos, para recuperar o seu apetite – 3 secos e 4 húmidos:

  • Diferentes perfis aromáticos. Os gatos com problemas renais podem recusar inclusivamente o alimento especial. No entanto, se lhes for proporcionado um alimento com um perfil aromático diferente, as probabilidades de recuperarem o apetite são muito grandes. Além disso, se acabarem por recusar a dieta renal para gatos, contam com outros alimentos também eficazes para a doença renal, mas com um “aroma” diferente.
  • Diferentes texturas e ingredientes.Os croquetes dos alimentos secos para a doença renal do gato têm diferentes texturas, sendo um um deles mais mole por dentro.  Por sua vez, os alimentos húmidos estão formulados com diferentes matérias-primas, como por exemplo, o atum, o frango ou a carne bovina. Esta variedade aumenta a probabilidade de encontrar um que agrade ao gato com doença renal.

Podem ser combinados entre eles. Estes alimentos podem ser combinados, permitindo até 18 combinações possíveis para lidar com a perda de apetite de um gato com insuficiência renal. Sem esquecer – e isto é muito importante – que uma dieta mista fornece uma maior quantidade de água ao metabolismo do gato, o que beneficia claramente a sua saúde. Só falta lembrar-lhe que se um gato ultrapassar os 7 anos é mais recomendável levá-lo ao veterinário para uma revisão completa, pois os gatos com insuficiência renal diagnosticados precocemente têm um tratamento mais  fácil e, desta forma, também é possível aumentar a sua esperança de vida.