A responsabilidade de ter um animal de estimação

Optar por conviver com um animal de estimação deveria ser uma das decisões mais importantes das nossas vidas, já que estamos a assumir a responsabilidade de cuidar de um outro ser vivo. Para além disso, também irá precisar de uma atenção adequada à sua espécie, onde se destacam o alojamento, os cuidados de saúde, a identificação, a alimentação, a higiene (tanto do próprio animal como do seu ambiente em casa e no exterior), o processo de educação, a prática de exercício, o que fazer consigo durante uma viagem e, por fim, algo que é mais importante do que pensamos, dar-lhe o amor que merece.

Como parte fundamental da responsabilidade de cuidar de um animal, deve-se ter em conta que ele precisa de alguns cuidados próprios da sua espécie. Isso significa não tratá-los apenas como meros objetos bonitos ou ferramentas úteis, mas também saber o quão prejudicial poderá ser humanizá-los excessivamente.

O abandono nunca é uma alternativa

Por isso mesmo, esta responsabilidade deve ser assumida durante toda a vida do animal, sendo de realçar que o abandono é injusto para ele, é proibido por lei e é uma irresponsabilidade perante a sociedade.

Colocados nos pratos da balança, os benefícios de conviver com um animal de estimação superam largamente os inconvenientes, mas se ainda assim não tivermos a certeza absoluta, o melhor é deixarmos para outro momento da nossa vida.

Ter um animal de estimação significa adquirir uma responsabilidade, embora seja um privilégio que traz uma enorme satisfação pessoal e que nos ajuda a sermos mais felizes.

responsabilidad-tene-rmascota-es-ppt-4

Depende de nós

  • Ter um animal de estimação é uma decisão muito importante, pois ela irá determinar a nossa vida durante o tempo em que o animal viver.
  • É da nossa responsabilidade prestar-lhe os cuidados específicos da sua espécie, entre os quais está não humanizá-lo desnecessariamente.
  • O abandono nunca pode ser uma opção, para além de ser crime, é desumano e injusto.