A saúde e cuidados do gatinho

Tudo o que ocorra durante a fase de crescimento do gatinho terá uma repercussão significativa na sua vida adulta. Os diferentes aspetos relacionados com a sua saúde e higiene são fundamentais (a primeira visita ao veterinário, a limpeza dos olhos, a esterilização, a escovagem, etc.) e, por isso, devemos estar bem informados para podermos garantir-lhe uma boa qualidade de vida.

PRIMEIRA VISITA AO VETERINÁRIO

Nesta primeira visita, o veterinário irá realizar uma análise geral para verificar o seu estado de saúde, realizar exames ao sangue para eliminar doenças infeciosas graves, como leucemia e imunodeficiência, e dar-nos-á as recomendações necessárias para uma alimentação adequada.

Além disso, irá indicar-nos os cuidados necessários relacionados com a higiene, educação, etc. E será o momento certo e a pessoa certa a quem fazer todas as perguntas que nos possam ter surgido.

IDENTIFICAÇÃO

Há sempre a possibilidade de um gatinho ou um gato adulto se perder e a melhor forma de o recuperar é que ele esteja identificado.

Atualmente, o método mais utilizado é o microchip que, além de ser um sistema de identificação útil quando um gato se perde, permite efetuar um registo da população felina. A sua colocação é semelhante a uma injeção, fica localizado debaixo da pele e pode ser lido com um leitor sempre que seja necessário.

O microchip possui um número de identificação único que figura numa base de dados associada aos dados do dono. Desta forma, quando alguém encontra um gato perdido, pode levá-lo a uma clínica veterinária para ser identificado com o leitor. O seu número de identificação será lido e entrar-se-á em contacto com a central de dados, que informará de como localizar o dono.

O GATO E SEU TERRITÓRIO

O gato é um animal intimamente ligado ao seu território. Se o ambiente é estável e reúne as características necessárias, poderá ter uma vida equilibrada. Devemos proporcionar ao gato a possibilidade de encontrar diferentes zonas onde poderá realizar as suas diversas atividades:

  • Zona de alimentação: deve ser uma zona tranquila e nunca perto da caixa de areia. É aconselhável evitar a cozinha e a sala de estar para que não confunda os nossos pratos e alimentos com o seu.
  • Zona de brincadeira: vai ser zona de maior dimensão e deve ser propícia para brincar, saltar, escalar, etc.
  • Zona de descanso: deve ser tranquila, acolhedora e confortável e será um lugar onde se sinta seguro. Costuma estar perto de uma fonte de calor (radiadores, janelas ensolaradas) e também é importante que esteja perto de nós.
  • Zona de eliminação: é a parte da casa onde vamos colocar a caixa de areia. Deve estar num local definido, não deve ser movido de sítio, numa zona tranquila e nunca perto dos alimentos ou das zonas de descanso. A areia deve estar limpa e, por isso, é necessário mudá-la regularmente.

UNA CASA SEGURA PARA O SEU GATINHO

Embora não nos apercebamos, há muitos perigos dentro de casa e descuidos que podem ser terríveis para a saúde do nosso gatinho. Tal como quando há um bebé, é preciso tomar uma série de precauções e remover do seu alcance vários elementos de uso diário, tais como:

  • Cabos e fichas, o gatinho pode roê-los e brincar com eles e ficar queimado ou electrocutado.
  • Sacos de plástico, alguns gatos gostam de se esconder dentro deles, mas podem ficar presos e sufocar.
  • Plantas tóxicas, muitas das plantas de interior e exterior que temos nas nossas casas são tóxicas. Eles podem causar sintomas digestivos, neurológicos, cardíacos ou dermatológicos e são tão comuns como a poinsétia (bicos-de-papagaio), hortênsia, oleandro, azálea, crisântemo, jiboia, etc.
  • Janelas e varandas, porque implicam um risco de queda, embora gostem de observar a rua ou que as varandas permitam algum tipo de acesso ao exterior. Além disso, as janelas de batente poderão prender o gato e causar danos de gravidade variável, podendo mesmo deixá-lo paraplégico.
  • Agulhas e linhas: ao brincar com o fio enfiado na agulha, pode engolir ao mesmo tempo a agulha e a linha, com os consequente danos internos.

Finalmente, lembre-se que os gatos gostam de se esconder em armários, gavetas, na máquina de lavar e noutros espaços fechados e atraentes para eles: esteja atento para evitar sustos e acidentes.

A UTILIZAÇÃO DA CIAXA DE AREIA

Para facilitar a utilização correta da caixa com a areia absorvente devemos ter em conta que o mais importante não é o tipo de caixa (que, naturalmente, deve estar de acordo com o tamanho do gato e com o número de gatos em casa), mas a localização da mesma: um local calmo, sem muito trânsito e ruído, facilmente acessível, um local “íntimo” e afastado dos alimentos, da água e de possíveis áreas de descanso do animal.

Se acostumarmos o gatinho a utilizar corretamente a caixa, teremos a sorte de não encontrar surpresas desagradáveis no resto da casa, embora seja normal que o seu instinto faça com que sejam dignos do seu adjetivo mais utilizado: são asseados.

A ESCOVAGEM E A HIGIENE DO GATINHO

Juntamente com o sono, a higiene é uma das principais prioridades do gatinho. Fazem-no principalmente com a língua, mas também ajudam com as patas: humedecem-nas com a língua e, dessa forma, servem como esponja para a higiene.

No entanto, também é aconselhável escová-los para remover o pelo morto. Isso beneficia o estado da pele e do pelo e também ajuda a reduzir a ingestão de cabelo e, consequentemente, reduz a formação de bolas de pêlo a nível digestivo e os transtornos associados.

O melhor é acostumar o gatinho à escovagem o mais rapidamente possível e de forma gradual. No primeiro dia da rotina de escovagem talvez devamos apenas acariciá-lo com a escova na nossa mão, mas sem utilizá-la, para que aceite a escova como algo normal. Também é bom para termine com mimos ou brincadeiras e rapidamente se tornará um momento agradável para ambos.

BRANHOS

Podem ser necessários para gatos de pelo comprido, como o persa.  É conveniente começar a acostumá-los ao banho desde pequenos, uma vez que será algo habitual na sua vida diária. Uma boa idade para o primeiro banho é aos 6 meses, quando o gatinho tenha concluído a sua vacinação.

É importante usar um champô específico para gatos, ter muito cuidado com os seus ouvidos e olhos e, quando terminar, secá-lo cuidadosamente com uma toalha ou com um secador, se o pelo for muito comprido.

CUIDADOS CON OS OLHOS

Quando mais plano for o focinho do gato, maior será a lacrimação devido à estreiteza dos canais lacrimais que não permite a drenagem correta da lágrima. Assim, os mais afetados são os gatos persas. Deve limpar a zona para evitar a irritação da pele. Além disso, se o gato for branco, o excesso de lágrima costuma fazer com que o pelo adquira uma cor escura. Existem produtos específicos que, aplicados com frequência, ajudam a reduzir essa coloração.

LIMPIEZA DAS ORELHAS

É aconselhável limpar os ouvidos do gatinho uma vez por semana com gaze ou toalhetes específicos para essa operação. Se apresentar uma secreção abundante de aspeto desagradável e se coçar com frequência, devemos consultar o veterinário. É possível que se tratem de ácaros, um parasita muito comum nos gatos, que são eliminados com um tratamento simples e não é contagioso para as pessoas.

Importante: não utilizar cotonetes ou soluções de água ou álcool.

CUIDADOS COM O NARIZ DO GATINHO

Alguns gatos podem ter uma secreção seca à volta dos orifícios nasais. Podemos limpá-la facilmente com uma bola de algodão ou lenço de papel humedecido com água morna.

Importante: se notarmos que o nariz está seco ou cheio de muco, devemos consultar o veterinário.

CUIDADOS COM AS UNHAS

O corte das unhas é algo que costuma ser desesperante para um grande número de proprietários. Tal como para a escovagem, devemos ensiná-lo de forma gradual e não tentar cortar todas as unhas de uma vez no primeiro dia. Talvez o melhor seja acostumá-lo primeiro a que se toque e manuseie as suas patas, depois brincar com elas com o corta-unhas nas nossas mãos e, quando tenhamos conseguido, cortar a primeira unha. Se o fizermos gradualmente, vai ser uma rotina totalmente aceite.

Por outro lado, e em relação às unhas, a utilização do raspador é um método eficaz para manter a integridade dos diversos móveis da casa. Se acostumarmos o animal a utilizá-lo desde pequeno, evitaremos problemas de convivência.

Para que escolha o raspador como zona de “afiação e marcação”, devemos brincar com o animal utilizando uma cana ou caneta batendo com ela contra o raspador. Através da brincadeira, vai notar que as suas unhas ficam presas muito facilmente. Com esta operação simples, os odores das suas glândulas sudoríparas e sebáceas (que têm entre os dedos) irão impregnar o raspador.

CUIDADOS DENTÁRIOS

Os dentes de leite aparecem da terceira à sexta semana de idade e são substituídos pelos dentes definitivos a partir dos 4 meses.

A BRINCADEIRA

A brincadeira é uma atividade vital que permite ao gatinho desenvolver as suas capacidades de caça, ter relações sociais e gastar energia. É muito importante que continue a praticar em adulto.

Por outro lado, tendo em conta que o gatinho pode estar a descansar pacificamente entre 18 e 20 horas por dia, é lógico pensar que “algum” exercício e brincadeira seja necessário para o seu desenvolvimento físico e “mental”.

Na verdade, a brincadeira e o exercício envolvido é vital para manter um estado físico e mental adequado no gato, uma vez que se manterá mais em forma e evitaremos o aparecimento de stress por inatividade (a brincadeira funciona como um “ansiolítico natural”, uma vez que permite que a curiosidade inata do gato não seja afectada pelo “tédio” de uma vida num ambiente fechado).

Se incentivamos o nosso gatinho a brincar adequadamente (por exemplo, nunca brincar com as nossas mãos, mas com brinquedos) evitaremos que ataque os nossos pés, que se torne num gato que morde ou que tenha comportamentos indesejados. A brincadeira oferece estímulos e permite mudanças e novos cenários ao gato na sua rotina diária.

ESTERILIZAÇÃO

Costuma ser realizada aos 6 meses e até mesmo antes. Trata-se de uma prática recomendada por rotina pelos veterinários e cada vez mais difundida, graças aos benefícios proporcionados:

  • É o melhor método para controlar a natalidade e evitar ninhadas indesejadas.
  • Previne muitas doenças dos órgãos sexuais.
  • Reduz o risco de tumores da mama nas fêmeas.
  • Elimina os comportamentos sexuais e os instintos e a ansiedade que sofrem se não tiverem um parceiro para acasalar.

El veterinario no solo nos indicará el momento oportuno para llevarla a cabo, sino también el cambio de alimentación correspondiente a este nuevo estado fisiológico.

BOLAS DE PELO

Quando o gato se lambe para se limpar, engole uma grande quantidade de pelo que pode acumular-se no aparelho digestivo e provocar diferentes transtornos. Este pelo acumula-se e forma bolas que, frequentemente, são regurgitadas, embora às vezes provoquem vómitos ou prisão de ventre e, nos casos mais graves, obstrução intestinal.

Para reduzir a acumulação e a formação de bolas de pelo, podemos adotar diferentes medidas que podem ser complementares: escovar o gato para remover a maior quantidade possível de pelo morto, utilizar malte para evitar a acumulação de pelo no trato digestivo e oferecer alimentos especiais que facilitam a eliminação natural do pelo ingerido nas fezes.