Como alimentar o gatinho

O crescimento é um período delicado que condiciona o equilíbrio e a boa saúde do futuro gato adulto. Entre os muitos inúmeros fatores que influenciam o crescimento, a alimentação desempenha um papel importante.

A alimentação do gatinho e do gato adulto deve ter em conta as características digestivas específicas (paladar, olfato) próprias da espécie felina. Apenas os alimentos especificamente elaborados podem garantir todos os consumos necessários para o equilíbrio do seu gato, independentemente da sua idade, raça ou tipo de vida.

PADRÕES DE ALIMENTAÇÃO

No momento de alimentar os gatinhos, não só é preciso encontrar o alimento ideal, como também oferecê-lo da forma adequada.

Depois de decidirmos qual o melhor alimento para o nosso gatinho, é aconselhável mantê-lo até ao momento em que for necessário fazer uma mudança de alimentação (esterilização, idade adulta, doença, etc.). Oferecer uma grande variedade de alimentos favorece um comportamento caprichoso, enquanto que um gato acostumado a uma alimentação mais constante não exigirá mudanças frequentes de alimento.

Pode escolher entre uma apresentação seca ou húmida. A escolha é determinada pela preferência do gatinho (ou do dono), e ambas podem ser válidas sempre que se trate de alimentos específicos que satisfaçam as suas necessidades nutricionais de forma precisa. Outra opção é combinar o alimento húmido e seco, controlando a quantidade de cada um para não duplicar a ração. Também se pode fazer algo cada vez mais comum: oferecer ocasionalmente uma ração de alimento húmido a gatos que normalmente comem alimento seco.

Algo em que devemos ser rigorosos, é não acrescentar nada à sua comida, nem dar-lhe nada da nossa comida. O que podemos alcançar, se o que fizermos, é desequilibrar a comida, fornecer um consumo de energia excessivo e causar problemas digestivos. Por fim, o gatinho deve apenas comer a sua comida.

Por outro lado, deve controlar a sua ração e deixá-la livremente disponível. É verdade que os gatinhos geralmente regulam bem a ingestão de alimentos, mas controlar a quantidade de alimentos oferecidos ajuda-nos a cuidar melhor da sua saúde. As tabelas das embalagens indicam uma quantidade orientativa de alimento que serve como referência, mas não deve ser rigorosamente aplicada, se não se adaptar exatamente às necessidades individuais do nosso gatinho. A ração diária deve estar permanentemente disponíveis para que a possa comer ao seu próprio ritmo. Os gatos, por natureza, tendem a fazer refeições muito pequenas, mas muito numerosas (12-20) durante o dia e noite, e, assim, vamos permitir-lhe manter este comportamento alimentar.

Também são importantes alguns aspetos relacionados com o comedouro. O seu material deve permitir uma limpeza fácil, como a porcelana e deve cuidar-se da sua higiene: tem que mantê-lo limpo e evitar restos, especialmente quando o alimento é húmido. Além disso, deve ser colocado num local adequado: nunca próximo da caixa de areia (pelo menos 50 cm de distância) e separado da água (evitar comedouros duplos) para impedir que a sujem com biscoitos do comedouro do lado.

Por último, lembre-se de que é essencial, especialmente se o alimento é apenas seco, que o gatinho tenha sempre água fresca e limpa à sua disposição.

BABYCAT MILK

O melhor alimento para um gatinho lactente é o leite da sua mãe, é o mais completo e o que mais vai proteger o seu sistema imunitário, mas há momentos em que é necessário complementá-lo (ninhadas muito numerosas, mastite na gata, abandono dos gatinhos, etc). Por conseguinte, não é aconselhável a utilização de leite de vaca. O seu teor de energia e proteínas são insuficientes para o gatinho e o seu elevado teor de lactose pode causar diarreias e intolerância alimentar. Se for necessário complementar o leite materno é importante utilizar leite materno, especialmente formulado para gatinhos. Babycat Milk da Royal Canin tem uma composição que imita o leite de gata, enriquecida com EPA/DHA, fácil de preparar e com tolerância digestiva excelente.

Depois do leite materno, é sem dúvida a melhor opção para o seu gatinho!

DESMAME

A partir da quarta ou quinta semana de vida, o gatinho pode receber alimentos sólidos. Este alimento é, inicialmente, constituído por uma pasta preparada com um pouco de água quente ouleite materno. A quantidade de líquido vai sendo gradualmente reduzido até não administrar ao gatinho mais do que um alimento seco.

Babycat 34 é um alimento especialmente formulado para gatinhos de 1 a 4 meses. Os seus biscoitos miniatura, facilmente rehidratáveis, permitem uma fácil transição para os alimentos sólidos. Trata-se de um alimento enriquecido com proteínas altamente digeríveis, fruto-oligossacáridos, L-lisina, EPA/DHA, além de um complexo sinérgico de antioxidantes patenteado que estimula a produção de anticorpos.

O CRESCIMENTO A PARTIR DOS 4 MESES ATÉ A UM ANO DE IDADE

Após o aparecimento da dentição definitiva, as proporções dos vários nutrientes essenciais para o crescimento do gato são as mesmas até atingir um ano. Apenas se alteram as quantidades de alimento de crescimento fornecidas diariamente, que vão aumentando até atingir a idade adulta

Kitten 36 é um alimento especialmente formulado para esta fase de crescimento com proteínas altamente digeríveis, fruto-oligossacarídeos, EPA e DHA, um complexo sinérgico patenteado de antioxidantes e L-Lisina.

Kitten Persian 32 é um alimento especialmente formulado para o gatinho persa. Este produto tem um biscoito com um tamanho, forma e textura adaptados à mandíbula e à forma extremamente plana do gatinho persa. Além disso, os seus nutrientes ativos intensificam a suavidade e o brilho do pelo, ajudam o gatinho a construir as suas defesas naturais e reforçam a segurança digestiva.