O campus da Royal Canin

O CAMPUS DA ROYAL CANIN

Campus da Royal Canin. encontra-se numa localidade situada no sul da França,  em Aimargues, com uma área de cerca de 24 hectares. Ali nascemos e ali temos vindo a desenvolver alimentos que fizeram história na nutrição animal.

Desde a primeira gama de alimentos para cão, que teve em conta o tamanho destes animais, até aos alimentos especialmente formulados para as raças, nos quais fomos pioneiros, estas instalações criaram marcos que nos permitiram dar a todos os gatos e cães um alimento quase à medida.

No Campus da Royal Canin, além de uma fábrica de alimentos (que abastece o mercado português, entre outros países), encontram-se o laboratório de análises, os canis, o gatil, o centro de investigação e desenvolvimento e os escritórios centrais.

Entre eles, as instalações para gatos e cães merecem uma menção especial, onde trabalham doze profissionais responsáveis ​​pelo acompanhamento do seu bem-estar em todos os momentos, incluindo no tempo de lazer.

Os animais que vivem nos canis e no gatil ajudam-nos a conhecer a digestibilidade e o sabor dos nossos alimentos, apenas através apenas de um “teste cego”, ou seja, escolhem o alimento de que mais gostam entre as duas que lhes damos a provar, o que faz com que saibamos qual é mais agradável para eles. Como não poderia deixar de ser, estes testes são sistematicamente alternados com períodos de descanso, em intervalos que variam de uma a três semanas.

Eles são os nossos companheiros e amigos, e sentimos um profundo respeito por eles. Um exemplo deste respeito é o facto de eles serem convidados de honra nos escritórios da Royal Canin por todo o mundo.

Assim, o Campus da Royal Canin é o expoente máximo da nossa missão: criar um mundo melhor para os animais de estimação.

O CANIL E O GATIL

A conceção das instalações para estes animais nasce fruto do planeamento e colaboração entre os veterinários e os especialistas em cães e gatos.

Este centro único alberga 128 cães de diferentes raças e 98 gatosde 13 raças diferentes. Doze profissionais dedicam-se totalmente ao bem-estar dos animais. A conceção especial das instalações assegura este bem-estar, e a ela aliam-se os meios que os animais têm à sua disposição: bebedouros automáticos, varas de plumas, brinquedos e música nas casinhas.

Os testes realizados em animais são de digestibilidade e sabor (o animal faz um “teste cego” para escolher entre dois alimentos). Os períodos de teste são alternados com períodos de descanso (de uma a três semanas).

LABORATÓRIO DE ANÁLISES

O laboratório de análises informa o departamento de Investigação e Desenvolvimento. Nele são realizadas diversas ações, sendo a principal a de controlo das matérias-primas recebidas, que serão a base para o desenvolvimento do produto.

Tudo isto, obviamente, com a perspetiva de melhorar a qualidade dos alimentos e a capacidade de resposta da empresa.

Royal Canin, produção ajustada e controlo da qualidade total.

INVESTIMENTO E INOVAÇÃO CONSTANTES

Desde há cinco anos que a Royal Canin tem feito uma verdadeira mudança estratégica, comercial e técnica, com o foco na qualidade.

Os investimentos industriais feitos pela Royal Canin ao longo dos últimos três anos (cerca de 40 milhões de euros) tornou possível o reajuste do seu conjunto de fábricas, de forma a produzir alimentos de primeira qualidade e possuir instalações mais modernas, inovadoras e, acima de tudo, competitivas.

A melhoria nas infraestruturas das fábricas transformou-as em centros de produção de topo e cada vez mais simples (produção em linha e “just-in-time”, características que evitam a produção de grandes armazenamentos de produtos, assegurando que chega extremamente fresco ao ponto de venda), mais compactas e flexíveis e controladas de forma mais eficaz, para além de proporcionar uma extraordinária capacidade de adaptação.

Considerando que os trabalhadores fazem parte do processo, a Royal Canin dá a cada funcionário a oportunidade de participar na produção. Ter em conta a opinião de todos e o compromisso de melhoria contínua no trabalho são pontos essenciais na estratégia industrial da Royal Canin.

QUALIDAD E SUSTENTABILIDADE

Desde há mais de quarenta anos, que a Royal Canin elabora alimentos para cães e gatos, cuja qualidade levou a que a empresa se tornasse num dos líderes atuais do seu setor. A ideia foi do veterinário francês Jean Cathary, que desenvolveu um alimento para ajudar no tratamento de determinados problemas de pele frequentemente observados no pastor alemão.

Este compromisso inicial permitiu desenvolver um conceito que é hoje um dos nossos pilares, a Nutrição – Saúde, a qual pressupõe que se encontrem formas de desenvolver todo o potencial da saúde dos cães e gatos, através de uma nutrição tão adaptada quanto possível às suas necessidades específicas.

Sempre com a máxima de não os humanizar, o gato e o cão têm estado, desde então em primeiro lugar para a Royal Canin. Esta abordagem, que é muito especial e dá prioridade a estes animais de estimação acima de tudo, só pode ser alcançada através do conhecimento e respeito.

É precisamente este sentido de respeito pelo gato e pelo cão que tem levado a Royal Canin a ter o mesmo respeito por tudo o que tenha a ver com uma alimentação equilibrada, bem como o que está envolvido no processo de elaboração dos alimentos formulados para eles.

Como não poderia deixar de ser, a qualidade é uma parte fundamental deste processo, a mesma qualidade que afeta as matérias-primas e osprocessos de elaboração, mas também o método de distribuição e o serviço direto ao consumidor. No entanto, esta qualidade só é eficaz se corresponder às necessidades e conhecimentos de cada época.

A este respeito, todos temos consciência de que os recursos naturais são limitados, por muito extenso que seja o planeta. Por isso estamos a questionar os atuais sistemas de produção e os nossos hábitos de consumo.

A mudança que requer a implementação deste raciocínio irá integrar o processo de elaboração dos alimentos para cães e gatos, novas matérias-primas, tal como fizemos na nossa alimentação ao integrar as algas, por exemplo, um hábito que veio da Ásia e que, há apenas quatro décadas, era impensável no ocidente.

É óbvio que este conceito de sustentabilidade também afeta as embalagens e, por isso, todas serão fabricadas para serem recicláveis.

Mas as nossas expetativas de mudança também afetam o centro administrativo da Royal Canin, onde é essencial evitar o desperdício, minimizar os erros em todos os processos envolvidos na elaboração de um alimento e eliminar todas as tarefas que não tenham um valor acrescentado.

Esta atitude de respeito para com o meio ambiente, bem como pelos nossos animais de estimação, deve ser aplicada o mais rapidamente possível, pois é a única maneira de garantir um futuro para todos os seres humanos e animais, quer sejam animais de estimação ou não. Esta é a nossa responsabilidade e para consegui-la não perderemos de vista os valores que nos distinguem dos outros, nem pouparemos nos esforços diários para a manter.